Editorial Jogo Rápido Aconteceu Especial A Óptica do Mundo Hall of Frames Entrevista Internet Internet Terceira Visão Dicas e Estratégias Vitrine Coluna do Miguel Atitude Um Outro Olhar Retrato de uma Idéia Economia & Mercado Foco Agenda e Calendário Lentes de Contato Guia View 2002 Assine Aqui! Fale Conosco Edições Anteriores

Maquiagem para a íris

Tintura nos cabelos, silicone nos seios e olhos de outra cor. As possibilidades para brincar com a aparência são inúmeras e desde a década de 50 as lentes de contato mudam a cor da íris humana de forma fácil e rápida.

Foi-se o tempo que a apa-rência física de cada pessoa era algo absoluto. Hoje, tudo pode fi-car diferente, por meio de mudan-ças temporárias ou definitivas: cirurgias plásticas remodelam di-versas partes do corpo, tatuagens criam desenhos personalizados, tinturas para cabelo enchem pra-teleiras e mais prateleiras de su-permercados, farmácias e lojas de cosméticos com tonalidades que variam dos básicos castanho, preto, loiro e ruivo até as cores mais exuberantes.
Com a cor dos olhos não é diferente. Seja apenas para os que gostam de brincar com o visual ou para consolar os des-contentes, as lentes de contato coloridas conseguem até íris semelhantes às da atriz norte-americana Elizabeth Taylor, a mu-lher dos famosos olhos violeta, ou brincadeiras com desenhos de estrelas, flores, olhos brancos ou de gato.
De todas essas mudanças de visual, porém, a cor dos olhos deve estar na “lanterninha” em número de ocorrências, apesar de ser relativamente fácil, barata e oferecer riscos bai-xíssimos à saúde.


Pioneiras: as primeiras lentes de contato coloridas eram pintadas uma por uma manualmente. À esquerda, a primeira geração acrílica e à direita a segunda geração, já de material hidrofílico.
Não é um processo cirúrgico como as plásticas, definitivo com as tatuagens e tampouco envolve produtos químicos como as tinturas para cabelo.

Números e público - O mercado de lentes de contato pode crescer muito ainda no país. Estimativas indicam que apenas 1% dos brasileiros que necessita de correção visual usa lentes de contato. Nos Estados Unidos, esse número chega a quase 10%. Ao considerar que as opções coloridas atingem um público bem maior, incluindo os que precisam de grau e os que usariam lentes planas, as lentes de contato são uma interessante possibilidade para as ópticas aumentarem seu número de clientes e lucros.
O público-alvo desse tipo de produto é grande e diverso: atrai os usuários de lentes de contato transparentes, que já estão adaptados, os que usam apenas óculos de receituário, que podem querer experimentar um novo tipo de correção visual, os clientes de óculos solares ou pessoas que passam apenas na frente da vitrine e sentem vontade de mudar a cor dos olhos.
O maior mercado em solo nacional, contudo, é o de len-tes de contato planas usadas exclusivamente para fins cosméticos. Para vender esse tipo de produto, a óptica precisa apenas de um espaço adequado para que o cliente treine a colocação e a retirada e teste a cor das lentes em seus olhos, com pia, torneira e sabão anti-séptico para desinfecção das mãos além de, obviamente, um profissional treinado e apto para adaptar as lentes.
Lentes de contato coloridas gra-duadas também podem ser vendidas desde que para repo-sição, como ocorre na maioria das ópticas que comercializam lentes de contato descartáveis incolores. Um centro completo é necessário para estabelecimentos que trabalhem com adaptações de lentes rígidas, gelatinosas ou descartáveis para portadores de ametropias, com profissionais, equipamentos e locais específicos.

Histórico - As primeiras lentes de contato coloridas surgiram na Alemanha por volta da década de 50, eram de acrílico e pintadas à mão imitando a íris. Essa técnica foi usada também no Brasil durante bastante tempo, inclusive com as primeiras lentes fabricadas em material hidrofílico.
Hoje em dia, a fabricação se dá em escala industrial, tanto das lentes de contato rígidas como das gelatinosas, por um processo similar a um carimbo, conhecido como tampografia. Há lentes coloridas com simples impressão, que consiste em apenas uma “estampa” de uma cor só com riscos que simulam a íris humana, e com duplas ou triplas impressões, que combinam cores e desenhos a fim de proporcionar um aspecto mais natural aos olhos dos usuários.
O número de impressões e cores nas lentes não implica em maior ou menor qualidade e sim modifica o efeito de cada produto nos olhos: as de simples impressão proporcionam um visual mais ousado e, as demais, um aspecto mais próximo ao natural. Sem falar que o feito das lentes de contato coloridas varia de pessoa para pessoa, conforme a cor real da íris. Isso significa que dois usuários de olhos castanhos conseguem tons distintos com a mesma lente azul, como se a cor dos olhos se misturasse às das lentes. Mal comparando, elas agem mais ou menos como os perfumes, que adquirem fragrâncias diferentes dependendo da pele em que são aplicados.


[ Próxima ]

[ Volta ]
          [ Home ]